segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Loucas varridas.

Não sei se surtei de vez ou se estou a caminho. Fico questionando-me a esse respeito. Minhas atitudes, ultimamente, são de doida varrida - nem tanto, há certo exagero nessa conversa toda.Observem!

O problema é que tomei gosto pela coisa. Pode rir. Doidice, pega, viu? Cuidem-se, pois, motivos incansáveis nos angustiam a mente, e com isso pira o “cabeção” nos levando a uma insanidade leve, proveitosa, e porque não dizer, saudável.

Calma, minha piração ainda não atingiu o ápice. Ainda não usei camisa de força nem recebi convite para ir a nehuma clínica psiquiátrica.

Não vou só, falta-me companhia. Gostaria muito que vocês se animassem. Já pensou quantas loucuras poderíamos fazer juntas?

Brincadeirinha, viu?

Assustei-lhes, não é mesmo?

Calma, relaxem. Não precisam aceitar ainda o convite.

Pensem, esperem o momento certo.Cada um sabe de suas necessidades, não é mesmo?

Agora, confesso-lhes: Não me considero loucona. Sou uma desmiolada suave, talvez.

Meu sintoma de loucura é aceitável. A minha necessidade de falar equivoca-se com a solidão total das palavras. Ou , na verdade essa solidão seja a falta de retorno das palavras. Daí, vem meu monólogo incansável.

Sou meu divã, entendem?

Viajeiiii,não é mesmo?

Escrever leva a isso.

Que papo maluco!

Chegaaaa, acabo lhes alugando com meus delírios.

Vou ficar quietinha, prometo. Embora não consiga me livrar dos meus incansáveis diálogos com meus botões, paredes...!

Então, relaxou ? Pensou no meu convite? Tenho certeza que sim.

Venham logo, estou de malas prontas para viajarmos. Não iremos a clínica nenhuma, isso lhes garanto.

Juntem-se a minha loucura, lhes fará um bem retado.

Minhas lindas,seremos apenas loucas varridas pela vida...., nada mais!

Nenhum comentário: