sábado, 30 de outubro de 2010

Monteiro Lobato-"Caçadas de Pedrinho".


Meninas queridas, não acredito na notícia que leio no jornal. É muita doideira. Não dá para entender.
Pronto, danei-me. Vou falar , rasgar o verbo.

O livro de Monteiro Lobato, "Caçadas de Pedrinho" vetado pelo Conselho Nacional de Educação (CNE)?

O parecer foi dado porque o Conselho acha o livro racista.

Só agora o CNE leu a obra de Lobato? E só agora percebeu racismo em uma delas?

Esse livro foi lançado em 1933 e conta as aventuras da turma do Sítio em busca de uma onça-pintada.

Inocente historinha que encantou e encanta crianças e adultos.

Tenha santa paciência. Onde o CNE enxergou racismo para impedir que as crianças da rede pública não leiam uma das maiores obras de Lobato?

Nosso grande escritor deve estar se remoendo de raiva. Se bobear São Pedro lhe dará uma chance de voltar á Terra para se defender de tão injusta acusação.

Leiam trechos do livro em que o nobre Conselho acha-o racista:

"Tia Nastácia , esquecida dos seus numerosos reumatismo, trepou, que nem uma macaca de carvão".
" Não é a toa que macacos parecem com homens.Só dizem bobagem".

Meninas tirem suas conclusões.



Observação: Como diz Fátima Oliveeira, o bom de escrever é o debate, é o polemizar.Com esse meu texto recebi comentários que preencheu e valorizou o pensamento individual de cada um. Agradeço e espero recebê-los mais vezes em meus posts. Para finalizar: Tudo na vida é uma grande aprendizagem.





16 comentários:

Anônimo disse...

Nossas crianças não merecem esta censura cretina.

http://twitter.com/EmiliadeRabico

Assi Sales disse...

É mesmo um "absurodo" (como você grafou lá n'O Varal do BB). Isso foi em virtude da sua indignação? Vixi Mainha! Kkkkkkkk

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

San,

Censurar algo que é escrito sem maldade é uma nojeira.

Beijo imenso, menina linda.

Rebeca

-

Anônimo disse...

Para quem duvida, saiba Monteiro Lobato era assumidamente racista. Infelizmente. Nada de inocente. Há muita coisa escrita analisando o viés racista da obra dele.
Muita mesmo. Se atualizem.
Nada de tomar partido sem antes ler as análises críticas a respeito. Vamos com calma.

Rosa Amélia

laura antunes disse...

Estou desenvolvendo uma pesquisa sobre as reações sobre o assunto tratado no post, uma recomendação de Conselho Nacional de Educação, composto por pessoas de sanidade mental comprovada e estudiosas e especialistas no assunto. Estou procurando no google posts a favor e contra. Assim encontrei o blog.
O achismo nem sempre é o melhor caminho para tratarmos com seriedade qualquer assunto. Há muitos estudos sérios e artigos sobre o racismo na literatura, até na de Lobato. Não custa ler para entender do que se trata. Dar opiniáo sem conhecer os argumentos é irresponsável. Já perguntaram a alguém negro como se sente vendo/lendo outro negro ser comparado a macaco?
Pois perguntem e ouçam a resposta. Não é olhar os escritos de ontem com os olhos de hoje. Racismo é racismo sempre. Onte, hoje e amanhã. Trata-se de não permitir que nossas crianças incorporem a naturalização do racismo. Obras racistas não devem ser reimpressas, quanto mais serem distribuídas em escolas.
Indico para o debate de vocês um artigo analítco de uma pessoa muito sensata, Fátima Oliveira,"Tua raça não morreu, Jim..."
http://www.vermelho.org.br/coluna.php?id_coluna_texto=1315&id_coluna=20
Bom debate!
Laura Antunes
laura-antunes@bol.com.br

Anônimo disse...

est anão é a primeira obra em que ele inferioriza negros. a discriminação é descarada
não é pq nao enxergaram até agora que vamos continuar cegos a um racista e ensinando nossa crianças a perpetuarem a discriminação.
se vc tivesse um filho negro pensaria duas vezes antes de criticar a censura

Sanbahia disse...

O respeito a opinião é uma virtude. Sendo o Brasil um país de várias cores ,é inaceitável uma obra de Lobato depois de tantos anos incutir o preconceito racial em nossas crianças.

Sanbahia disse...

Laura sou uma leitora de Fátima Oliveira.Gosto imensamente de tudo que essa grande escritora escreve.
Dizem os grandes conhecedores da obra de Lobato que o escritor era racista assumido, o que é lamentável.
Quanto aos trechos no livro vetado pela censura, penso que nossas crianças são suficientemente inteligentes para dicernir o que seja ofensivo e preconceituoso

Laura Antunes disse...

Sandra você topa reler o livro em discussão e fazer um post depois da leitura? Seria Interessante depois da leitura fazer uma comparação com o parecer da professora que escreveu o parecer.
No Brasil o racismo tem raízes profundas ainda. As pessoas sempre acham, quando acham, que as outras sao racistas, elas nuncam! E sabe por que? Por que as práticas racistas são tão comuns e naturalizadas que a maioria das pessoas praticam racismo e não têm consciência disso! Se adultos de "cabeça boa", que nem se acham racistas e até são contra o racismo agem assim (racistas são os outros, eu não!) imagine se as crianças terão discernimento. Como?

CENSURA AO MONTEIRO LOBATO

O Conselho Nacional de Educação (CNE) deu parecer favoravel a denúncia da Secretaria de Promoção de Igualdade Racial sobre o Livro "Caçadas de Pedrinho" de Monteiro Lobato, um dos maiores autores de literatura infantil, pode ser barrado nas escolas públicas, é racista.

O livro já foi distribuído pelo próprio MEC a colégios de ensino fundamental pelo Programa Nacional de Biblioteca na Escola (PNBE).

Segunda a CNE, a Secretaria de Alfabetização e Diversidade do MEC a obra só deve ser usada "quando o professor tiver a compreensão dos processos históricos que geram o racismo no Brasil".

Publicado em 1933, o livro de Monteiro Lobato, um dos maiores nomes da literatura infantil brasileira, narras as aventuras da turma do Sítio em busca de uma onça-pintada. Conforme o parecer do CNE, o racismo estaria na abordagem da personagem Tia Nastácia e de animais como o urubu e o macaco.

Um dos trechos da obra que sustenta a argumentação do CNE diz: "Tia Nastácia, esquecida dos seus numerosos reumatismos, trepou, que nem uma macaca de carvão". Outro diz: Não é a toa que macacos se parecem tanto com os homens. Só dizem bobagens." De acordo com Nilma Lino Gomes, professora da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e autora do parecer, o livro deve ser banido das escolas ou só poderá ser adotado caso a obra seja acompanhada de nota sobre os "estudos atuais e críticos que discutam a presença de estereótipos raciais na literatura".
http://www.imprensabrasileira.com.br/2010/10/censura-ao-monteiro-lobato.html

Laura Antunes disse...

Sandra você topa reler o livro em discussão e fazer um post depois da leitura? Seria Interessante depois da leitura fazer uma comparação com o parecer da professora que escreveu o parecer.
No Brasil o racismo tem raízes profundas ainda. As pessoas sempre acham, quando acham, que as outras sao racistas, elas nuncam! E sabe por que? Por que as práticas racistas são tão comuns e naturalizadas que a maioria das pessoas praticam racismo e não têm consciência disso! Se adultos de "cabeça boa", que nem se acham racistas e até são contra o racismo agem assim (racistas são os outros, eu não!) imagine se as crianças terão discernimento. Como?

CENSURA AO MONTEIRO LOBATO

O Conselho Nacional de Educação (CNE) deu parecer favoravel a denúncia da Secretaria de Promoção de Igualdade Racial sobre o Livro "Caçadas de Pedrinho" de Monteiro Lobato, um dos maiores autores de literatura infantil, pode ser barrado nas escolas públicas, é racista.

O livro já foi distribuído pelo próprio MEC a colégios de ensino fundamental pelo Programa Nacional de Biblioteca na Escola (PNBE).

Segunda a CNE, a Secretaria de Alfabetização e Diversidade do MEC a obra só deve ser usada "quando o professor tiver a compreensão dos processos históricos que geram o racismo no Brasil".

Publicado em 1933, o livro de Monteiro Lobato, um dos maiores nomes da literatura infantil brasileira, narras as aventuras da turma do Sítio em busca de uma onça-pintada. Conforme o parecer do CNE, o racismo estaria na abordagem da personagem Tia Nastácia e de animais como o urubu e o macaco.

Um dos trechos da obra que sustenta a argumentação do CNE diz: "Tia Nastácia, esquecida dos seus numerosos reumatismos, trepou, que nem uma macaca de carvão". Outro diz: Não é a toa que macacos se parecem tanto com os homens. Só dizem bobagens." De acordo com Nilma Lino Gomes, professora da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e autora do parecer, o livro deve ser banido das escolas ou só poderá ser adotado caso a obra seja acompanhada de nota sobre os "estudos atuais e críticos que discutam a presença de estereótipos raciais na literatura".

http://www.imprensabrasileira.com.br/2010/10/censura-ao-monteiro-lobato.html

Fátima Oliveira disse...

Sandra, a bagaceira está feita. Vamos debater os diferentes pontos de vista, relembrando que ponto de vista significa o lugar de onde alguém mira, "bispa", o mundo. Eu conheço a obra de Monteiro Lobato. Eu ali quando criança e depois de adulta. Quando criança ela era igualzinha ao mundo em que eu vivia: negros eram sempre inferiores e subordinados, por decisão de Deus! Depois de adulta e já consciente do que era o racismo, eu a reli. Nunca dei Lobato para que meus/minhas filhos/as o lessem. Isso há 34 anos! Do meu ponto de vista de negra consciente dos entraves do racismo na vida das pessoas negras e do potencial de contribuição que já demos e podemos dar ao país: Lobato é cruelmente racista, embora seja um escritor muito criativo. E era um racista que sabia que era racista. De modo que tenho a opinião que sua obra banaliza o racismo, considera algo normal e natural o tratamento inferiorizado dispensado às pessoas negras. É assim em sua obra.

Axé feminista,
Fátima Oliveira

Sanbahia disse...

fátima, grata pelo esclaredor comentário.
É sempre um prazer a sua visita ao meu blog, sinto-me lisonjeada.
Abraços.

Sanbahia disse...

Laura,ler ou reler a obra de Lobato não me faz uma apoiadora ao veto de sua obra. Penso ainda que a censura não pode impor a escolha de ler de ninguém. Minhas crianças não leram Lobato. Não as proibi, simplesmente não se interessaram.
Como já escrevi a você, não sou estudiosa da obra de Monteiro Lobato, portanto respeito a opinião da idealizadora ao veto .
Sou contra qualquer tipo de racismo. Não é um livro que incutirá o racismo em crianças com valores morais, sociais, devidamente passados pelos pais em casa .
Fiquei, deveras, triste em saber por estudiosos e biográfos de Lobato que o grande escritor era racista assumido. Isso , chocou-me. A maldade da pessoa que escreve não deve passar para quem lê sua obra- embora isso dependa de como foi passado a imagem do negro para as pessoas, e no caso do livro infantil, as crianças.

Cabe agora ao CNE decidir pelo veto ou não. Que seja feito o melhor para nossas crianças.

Um grande abraço

Márcia Lopes disse...

A criatividade de Lobato é inegável. Mas do que dele li e não foi tudo, chama a atenção os vieses racistas. Penso que um autor clássico como ele o e, as reedições de suas obras deveriam ter um chamadod e atenção sobre o racismo ali existente, de modo pedagógico e antirracista. O que não dá é não chamar aa atenção dos professores que trabalharão com o assunto.

Sanbahia disse...

Márcia, os professores, como você diz, acertadamente no seu comentário usar de uma maior atenção para passar devidamente a obra de Lobato para seus alunos, debatendo e esclarecendo o preconceito ao negro não só na obra como no Brasil.

Abraços.

Juliana disse...

Um assunto que já rendeu muito. Quem quiser assinar a defesa do Parecer *Eu apoio o parecer 15/2010 do Conselho Nacional de Educação!

www.euconcordo.com/com-o-parecer-152010