sexta-feira, 31 de julho de 2009

Proctologista?


Tomei um susto. Fiquei pasma e revoltada. Não admito tal coisa.

Apesar de todas as explicações científicas ,não me convenci com nenhuma delas.

Dizem que somos obrigadas a executar esse" troço" desagradável de qualquer jeito.

To eu mais uma vez fazendo rodeios com vocês. Calminha, deixem que eu faça meu desabafo.

É que me falta coragem para lhes contar mais essa triste realidade.

E toda essa maldade é consumada depois dos cinquentinha.

Urgentemente preciso mudar esse número. Vou retornar aos quarenta e nove e ficar quieta.

Fazer cinquenta anos é mesmo uma fria.

Meu paizinho celestial, porque fizeste isso com as mulheres? Somos seres tão suaves. Socorro Imaculada Conceição. Livrai-nos de todos os infortúnios vitais.

Se não fosse nós a humanidade não existiria. Protegei-nos de certos constrangimentos ou pelo menos amenizai-vos,minha Santinha!

Como somos sofredoras!(suspiros e mais suspiros)

Disseram-me, que depois dos cinquenta, para nos prevenr de câncer retal e dos intestinos grosso e delgado, precisamos consultar um proctologista.

Até ai tudo bem. O terrível é o exame a que temos de nos submeter.

Reflitiram?

Acham justo ficarmos de q-u-a-t-r-o
?

Será mesmo necessário ficarmos nessa degradante posição?

Quanta humilhação!

Faço nada!

To fora.

E vocês ficariam em tal posição?

Oxe, tenho certeza que relutarão.

Sei que a prevenção para prováveis doenças é sempre bem vinda.

Mas dessa vez foram longe demais conosco. È uma verdadeira cilada, amigas!

Ah, esqueci de um detalhe.

O exame é feito em bloco cirúrgico.

Somos anestesiada e dormimos.

Somos ,óbviamente, colocadas na posição inadequadísimas por enfermeiras (os ), penso eu. Será se estou viajando demais?

Ai, amigas, vou fugir como o diabo foge da cruz, desse exame.

Ajudem-me, queridas!.

Dai-me forças quando chegar meu dia, ufa!

Sei que devemos viver o aqui e agora.

Prá que me preocupar com algo que nem sei se será "mesmo"necessário fazer!

Sou mesmo uma mulézinha procupada com o amanhã.

Vou me corrigir.

Tchau proctologista.

Deletei-o da minha mente- pelo menos por enquanto.
















quarta-feira, 29 de julho de 2009

Disposta para matar


Leiam bem a frase que folheando uma revista encontrei: " Disposta para matar".

Quanta imaginação. Parece título de filme de suspense.

Não resisti e tive que compartilhar essa frase com vocês.

Já desconfiaram do que se trata?

Pois é amigas, mais uma trágica consequência da nossa famosa TPM.

Como já falei anteriormente em outro texto, TPm pra mim é coisa nova. Graças a Deus! Pelo menos deixei de matar alguns ao longo de minha vida.

Agora não estou disposta a nenhuma reação tão radical. Em vez de matar, que é essa a vontade que prevalece em nós mulheres, segundo o artigo da revista. Deveríamos nos contentar em dar umas mordidinhas,beliscões, machucados leves. Não seriam atos tão graves.

Agora, com tais atos, poderíamos ser apenas taxadas de loucas!

Pensem comigo, nós mulheres temos mais o que fazer, não é mesmo?

Muias vezes somos tentadas a dar mordidas, beliscões. Xi, façamos isso não!
Temos que segurar a onda. São reações tão infantis. Melhor é matar e pronto.

Quê? Eu disse matar e pronto ? Vocês têm certeza?

Escutem, to inquieta por demais.

Eu não vou entrar nessa de Tpm.

To num nervo!

Olha o auto controle,moça! Contenha-se baiana.

To pensando em atacar.

Vou rodar a baiana

Respie fundo baiana de Senhor de Bonfim. Medite, mulézinha!. Relaxe uai!

São só leves reações causados pelo Transtorno Pré-menstrual. Bobagem.

Você sai dessa rápidinho.

Tu não disse que conheceu há pouco tempo esse tal Transtorno?

Vença-o, ora!

Muito bem, 1...., (respiro),.2., (respiro no fundo de m'alma) e, 3.

Pai do céu ,socorre essa vossa ovelha.

Meninas amadas, os homens bem que poderiam entender esses momentos transloucados em nós mulheres.

A maioria não acreditam que fiquemos irritadiças, fora de controle a ponto de querer esganar alguém- de preferência o companheiro, namorado !

Engraçado, pensar em esganar logo o marido e namorado? Tadinhos, eles não têm culpa nenhuma desse estado lastimável que nos ataca.

Homens, belezuras abençoadas por Deus, sejam mais compreensivos e tenros. Esse Transtorno Pré-menstrual passa. São apenas alguns dias.
Eu não os mataria.Nem em em pensamento - vixe, em pensamento? Não garanto nada.

Dei uma descontroladinha átoa há poucos parágrafos, é bem verdade. Mas nada que chegasse a executar ato tão trágico.

Agora,to a me perguntar? Não sei o que pensam as outras mulheres sobre esse assunto tão delicado.Portanto, não posso supor quais seriam suas reações. Só lhes digo uma coisinha: Cuidado, viu? Mulher com TPM está mesmo" disposta para matar." (risos)

terça-feira, 28 de julho de 2009

Sonhos surreais.


- Meu Deus, minha voz não sai. O que está acontecendo?

O sufoco é grande. Parece que minha garganta fechou. Que aflição!

Tento , tento, e nada de sair nenhum som.

Á muito custo o som vai saindo e se expandindo além do esperado.

Meninas, dizem que dei um berro daqueles!

Acordei assustada com meus homens á minha volta.

Interroguei-os:

- Oxe, o que foi?

Os danados estavam com os olhos arregalados. Eu não conseguia entender o que falavam. Estava meio lá meio cá. Bambinha da Silva!

O maridão era o único que não dizia nada.

Os filhos saíram.Olhei para o amorzão e falei .

- Foi só um sonho, viu?

Ele vira para o lado e responde.

- Eu sei, já me acostumei com essas suas reações malucas durante o sono.

Pior que ele tem razão. Ultimamente meus sonhos têm algo de estranho.

Já sonhei amiga intima de um gorilaço que me acompanhava dia e noite. Outra noite me vi catando no lixo cabeças de gnomos. E para finalizar as doideiras, estive em uma festa em que comíamos copos, mesas, cadeiras, entre outras coisas que não me atrevo a escrever.

Eu, hein? Esperem ,não tomei nenhum alucinógeno.

Mas é muita maluquice, meu brother. Meu cabeção tá pirradão!

Xi, falando desse jeito pareço o quê?.Hum, sei não.

Deleta Sandrinha! Acorda, meu bem.

Por enquanto, para meu grande alívio, sei que não é nada demais.

Segura a onda meu,são só sonhos maneiríssimos, surreais!.

Rsrsrsrsrsrsrsrsrssrs!

Sinistro, cara!

Vou nessa.

Dormi.

Ei,prometo que da próxima vez acordarei a todos com uma sonora gargalhada.

Psiu, assusta, não!

Eu sou normal. (pequena pausa) Ainda!










sábado, 25 de julho de 2009

Viva o povo brasileiro!


Meu Deus, pela primeira vez em anos de casada, meu maridão desligou o telefone na minha cara. Fiquei com o celular na mão não acreditando que aquilo havia acontecido.

Meu maridão tão comedido , fez uma desfeita dessas comigo?

Oxe, difícil acreditar! Quem tem o direito legítimo, assinado no cartório da vida , de fazer isso, somos nós, mulheres!

Meninas, fiquei mesmo boquiaberta. O home ficou deverás irritado para tomar tal atitude!

A causa de tanta irritação foi meu atraso para o show do Lenine.

Cheguei atrasada só meia hora, e perdemos a carona.

Não ligue muito para essa destemperança do maridão. Ele tem uma alma boa. Logo esquece.

Para isso dei um jeitinho para que isso acontecesse o mais rápido possível . E, com um simples telefonema resolvi o assunto.

Consegui um carro com meus compadres e fomos paro o show motorizados.

Com esse meu ato consegui um sorrizão do maridão.

Sou mesmo uma mulher de ação. (risos)

Imagine vocês, se eu iria perder o show de Lenine? Hum! Num to doida!

Sou fanzona desse pernambucano cabra da peste.Já assisti a seu show em Ouro Preto no festival de inverno do ano passado, e adorei.

Como era de se esperar o show em Ouro Branco, não deixou nada a desejar. Foi simplesmente maravilhoso.

Nunca vi cantor com tanta brasilidade.

O danado canta com a alma. E o que mais impressiona é o seu poder cênico. Ele vive a música em plenitude ,e claro, interage inteiramente com o público.

Não estou exagerando, não. Para mim Lenine, é um músico completo. Eperimentem assistí-lo, tenho certeza que concordarão comigo.

Escutem uma coisinha, minhas amigas, minha família por parte de mãe é inteiramente pernambucana.

Fico toda orgulhosa com esse meu privilégio, agora, pernambuquês.

É mesmo arretado de bom, essa minha herança baiana e pernambucana!

Portanto, viva o nordeste de Gonzagão,Sivuca, Jackson do Pandeiro, Mestre Vitalino, Capiba e tantos outros!

Viva a enorme diversidade musical do povo brasileiro!



quinta-feira, 23 de julho de 2009

Praga? Jamais.


A desvantagem de um porrre só se sabe no dia seguinte. Geralmente acordamos com dor de cabeça e muita sede. O corpo fica como inibido , parece se arrepender pelas intempéries do excesso de álcool.

No entanto, deficilmente se encontra alguém que não tenha vivido a experiência de tomar uns copos a mais,e, lamentavelmente tenha conhecido a famosa ressaca,

Enquanto o pior da bebedeira fica para o dia seguinte, menos mal.Agora se o vexame acontecer após lastimáveis copos. Hum, é bom nem imaginar.

Recordo que já passei mal por exageros com álcool.Hoje em dia estou mais contida.Gosto de bebericar um bom vinho,nada mais.Penso que beber moderadamente ajuda a desinibir - os mais tímidos, que o digam.

Os excessos, embora aconteçam fazem parte da livre escolha de cada um. Espero, porém,que essa livre escolha seja feita com responsabilidade. Há comprovações científicas que fatores genéticos respondam por 40% e 60% da vulnerabilidade do vício.

Nada como um bom alerta contra a degradante compulsão alcoólica responsável por tantas doenças e mortes.

Agora, amigas, tenho algo a lhes confessar.Sei que não deveria ter feito tudo aquilo. Arrependi-me, um pouquinho só. Leiam meu relato. Olhem, foi um ato de desespero! Compreendam.

Um dia desses quis muito que meu maridão sofresse bastante após chegar em casa de porre. Talvez não fosse sua intenção misturar tanto. Disse-me que lhe deram uma inocente bebida chinesa.

Olhem, no momento senti muita raiva. Não tive dó nenhuma. Por mim se lascasse inteirinho.

Joguei praga, rezei fervorosamente para todos os santos que me vieram á cabeça para a criatura passar mal e desistir deste inoportuno levantamento de copo.

Nossa, como fui malzinha.Extrapolei em meus sentimentos nocivos.

Parece até que o homem vive nos bares da vida e apronta todas. Quanta Injustiça. Meu Deus!

Meninas, o resultado desse minha reza....e praga, foi desastrosa. O coitado só não desfaleceu e baixou hospital porque desesperada e de mãos juntas, sulpliquei aos céus perdão pela minha reza infame.

Sou tão trágica, "Reza infame", xi!

Amiguinhas, no momento da raiva fazemos coisas que nosso coração não aprova. Agora uma coisa é certa. Praga de mulher raivosa pega.

Agora digo carinhosamente aos homens de nossas vidas.

Cuidem-se direitinho, não saiam demais dos trilhos, senão nada neste mundo os livrará de nossas rezas ditas, infames!


quarta-feira, 22 de julho de 2009

Lerdeza


Sou lerdinha mesmo, e dai? Claro que essa lerdeza toda depende de meu estado de espírito. E também não é para tudo que a lerda se manifesta, viu?

Pronto, sou um pouco desacelerada, essa é a palavra certa. Custo a pegar, e se bobear fico no meio do caminho.


Affe, involuntariamente bate uma moleza que fico com o corpo todo despedaçado!

Detesto que me afobem . Tudo que faço é na maior calma de Deus.

Em determinados momentos, ataca a rebeldia da rede. Só quero deitar e pronto.

Oxe, mas tem coisa melhor.A vida já é tão cheia de atribulações, por que vou eu me agoniar? Nada como um bom descanso para recuperar as forças.

Calma, não é porque nasci na Bahia que sou assim, não.

Pode até influenciar esse baianês. Mas sou de natureza serena por demais! Vixe que coisa boa. Adoro ser assim , sabiam?

Até meu raciocínio é comedidíssimo. As pessoas cometem enganos devido a esse meu estado alfa de raciocinar. Sou incompreendida .

Home, é cada coisa que me aparece? Deixem-me pensar do meu modo, oxe!


Meu maridão é um relâmpago diante desse meu marasmo. O danado perde um pouco as estribeiras mas logo se arrepende. Sabe que não vai adiantar mesmo.

Não dizem que trem de mineiro é de uma lerdeza que dá dó?

Adorei, pelo menos tenho companhia, não é mesmo maridão querido?

terça-feira, 21 de julho de 2009

Dança do Ventre


Sempre gostei de dança oriental. Nos filmes medievais sempre havia bailarinas dando seus shows para reis e rainhas em salões nobres , recheados de volúpia e banquetes exuberantes!

Claro que em casa tentava ensaiar alguns passos. Saia correndo pelas salas, imaginando-me naqueles belos salões vistos nas telas do cinema.

Em meio a sofás , cadeiras e mesas, a bailarina encontrava seu palco e plateia.

Muitas vezes apareciam manchas roxas de tanto que me batia nos móveis.(bailarina atroadíssima)

Oxe, vocês acham que eu sentia alguma coisa no momento do meu espectáculo? Ora ,o envolvimento era tanto que me anestesiava completamente.Dava adeusinho a qualquer dor, tamanha era minha empolgação.

O problema que meus surtos de bailarina me deixavam entusiasmada! Achava-me pronta para qualquer show. Sempre ousada, vixe!

Na época fazíamos teatrinhos. E a bailarina sempre se apresentava .Nunca vi gostar tanto de se exibir.

Era até engraçado e por não dizer saudável. Aproveitava bem as minhas ilusões. Oxe, graças a Deus em qualquer oportunidade punha-as em prática. Então, vivas a "minha" bailarina, né?

Meninas, a bichinha aqui se achava mesmo. E quando ouvia os aplausos pronto, era a Ana Botafogo da dança oriental!

O interessante é que depois de muito anos aprendi de verdade a dançar a Dança do ventre. Hoje até aulas para as amigas administro.

Realmente é um sonho realizado. As vantagens para o corpo e mente são inúmeras. É uma verdadeira terapia para a minha vida.

Muitos acham a dança do ventre apelativa.Dão-na sentido provocativo e extremamente sensual.

Quem pesquisa-a como eu, sabe que a história não é bem assim.

No Egito , dançava-se a dança do ventre nos rituais dedicados a deusa Ísis, em agradecimento a fertilidade feminina e ás cheias do rio Nilo.

O bonito dito pela Epitologia, é que as ondulações abdominais da dança ensinavam as mulheres os movimentos das contrações do parto.

Vixe, fico arrepiadinha com tais significados. Acho que tenho um pézinho lá no oriente

Aproveitando o momento vou me vestir á caráter. Uma pausa , por favor.

Amigas, as roupas, maquiagem, bijouterias ,as músicas! Hum....não existem coisas tão lindas e femininas! Elas fazem um bem retado a nossos olhos.

A gente viaja. Dá para esquecer de tudo mesmo!

Vocês dão licença ,mas a música começou a tocar. Não resisto. É algo indescritivel.

Meninassssssssss, o que estão esperando?

Venham dançar comigo.

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Tpm, menopausa e andropausa.

Amigas, lhes digo com toda sinceridade deste mundo. Não escutei, na minha solteirice ,a palavra TPM.

Essa palavra pra mim é nova. Coisas da era tecnológica.(risos)

Menstruação ia e vinha e nada de tensões, aflições e mau humores. Cólicas e dores de cabeça sim. Mas nada que me impedisse de levar meu dia a dia normalmente.

Penso que eu, essa criatura que vos fala ,não tinha tempo para essas coisas. Graças a Deus!

Olhem, depressão, ansiedade, síndrome do pânico....nadinha disso existia , pelo menos não faziam parte de minhas conversas.

Falava-se em doenças dos nervos, arteriosclerose e coisas comuns , como : constipação, bronquite, entre outros.

Quando sentíamos alguma tristeza, principalmente termino de namoros, dizíamos que estávamos na "fossa".

Palavra feia "fossa". Agora seus significados dizem bem do nosso estado depré de hoje.

Estar na fossa é estar mal, cabisbaixo e claro, deprimido!

Depois dos filhos criados que fui apresentada a TPM. Pronto, mesmo que não quisesse sentia os inconvenientes sintomas.

Subitamente, não sei porque, algo me deixava nervosa, com enxaqueca e tudo.

Para meu marido demorei a falar sobre o assunto. Os meninos só souberam do tal problema depois das namoradas.

Bom, amigas queridíssimas, daqui há um tempo, a TPM será substituída na minha vida,e na de vocês também. Sinto dizer-lhes isso, viu?

Virá uma outra assombração para nós amiguinhas!! (mais risos)

Acho um desaforo retado os homens dizerem que não sentem nada.

Acredito não.

Só nós nascemos premiadas ?

A menopausa virá para nós e a andropausa para eles.

Oxe, temos que dividir esse negócio.

Pra que tanta desigualdade?

Num to dizeno!

Affe? Assim não dá.

Muita injustiça, não acham?

Só que eu nunquinha escutei um homem se queixar de andropausa na vida!

Retei-me totalmente!!!!!!!!!!!!!!



" Menos Mãe "


Minha veia musical vem da minha família paterna. Meu pai sempre gostou de música americana.É fã incondicional até hoje das grandes orquestras. Seu acervo de vinis é impressionante.

Ele gosta tanto de suas músicas, que chora quando escuta os instrumentos afinados dando seu show particular nos seus vinis históricos.. Fico impressionada com isso. Oh, coisa linda sentir a música a esse ponto! Haja sensibilidade.

A música clássica também teve seu lugar em minha vida. Tinha vezes que acordava ao som de Beethoven, Chopin e outros.

Poxa, sou mesmo abençoada! Quanta pretensão, não acham? Mas acordar com esses grandes ícones musicais era, deveras, m-a-r-a-v-i-l-h-o-s-o!

A bossa nova nem se fala . Escutava-a sempre ao violão inigualável do meu tio João Bagá.Nunca vi batida tão brasileira! Meus cumprimentos, João Gilberto!

Na minha cidade a influência do forró sempre foi muito presente. Portanto, Luís Gonzaga foi e sempre será o meu favorito .

Haja disposição para tanta boa influência musical! Agradecida Deus de todos esses músicos!

Sofri satisfatoriamente também ótimas influências musicais dos festivais da Record, Beathes e músicas italianas.

Vixe, só tenho super mestres em minha vida musical. Sinto-me privilegiada. Agradeço demais a esses meus iniciadores. Amém meus mestres!

Com tantas influências acabei promovendo em minha casa um verdadeiro rebuliço musical.

Meus filho mais velho é vocalista de bandas de rock. O mais novo toca bateria e acompanha o irmão nas suas estradas musicais.

Os meus danadinhos gostam mesmo de música. O negócio é genético, só pode!Os bichinhos são bons no que fazem , modéstia parte.

Meninas, são meus filhinhos, tenho direito de babar.

Se eles lerem o texto, o que duvido, dirão: " Menos, mãe! "

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Aterrissa Sandrinha!


Escutei sempre esta pergunta a minha vida inteira. "O que você seria se não fosse um ser humano?"

Pergunta chata. Não aguentava mais.Tem gente que não tem mesmo o que falar.

Mas vocês sabiam que só por esses dias encontrei a bendita resposta.

Reclamo da pergunta e perco tempo em respondê-la. Não me entendo mesmo!

Ah, não estou enrolando, já vou dizer qual foi a incrível resposta.

Não manguem de mim, prometam.

To deixando vocês impacientes?

Esperem, não saiam da página não.

Prometo que vão se surpreender.

Lá vai a grande surpresa. Oba! ( nossa, que horror, mais uma que apronto com minhas leitoras).

Eu seria um d-e-s-e-n-h-o, gostaram?

Acharam isso idiota, sem pé nem cabeça, né?

Pensem comigo.Reflitam.

Vocês já assistiram aos desenhos animados computadorizados?

Notaram a perfeição e beleza?

Pois é,assistindo a um deles não resisti. Aceitaria ser um daqueles personagens fofinhos, alegres e engraçados com todo prazer. E pela vida inteirinha!

Humm...cai na besteira de comentar com meus homens.Eles não me deram papo. Apenas balançaram a cabeça.

Será porque fizeram isso comigo ?

Ah, problema deles.

Acho que o papo não agradou.

E vocês o que acharam da minha escolha?

É uma escolha tão saudável!

Tão, tão.....!

Será se minhas coleguinhas continuam lendo ?

.................?

Por que estou fazendo tão tola pergunta?

To variando.

Aterrisse Sandrinha.

Meninas , ei....psiu.

Vocês continuam ai?

Affe, to aperreada!

Nossa, acho que nessa dancei de verdade.

Deveria ter ficado calada.

Oxe, não vou deletar e pronto.



obs. Pensei melhor, desta vez abusei....! Oh, papo besta retado. Haja saco
.

terça-feira, 14 de julho de 2009

Mania nacional


Minhas amigas , vocês não vão acreditar , mas vejam a declaração preconceituosa e machista do Murilo Benício em um jornal mineiro: " Penélope Cruz não tem bunda. Como uma mulher é gostosa se não tem bunda?"

Sentiram que desastre? Que comentário idiota, meu Deus!

É bem sabido que a paixão do brasileiro é um vasto e arrebitado bumbum . E nisso as brasileiras, na sua grande maioria, são campeãs. Tirando euzinha, é claro.

Meninas, calma, esperem.Não estou com despeito não. Tenho plena consciência de ser desbundada.

É óbvio que numa calça justa, num vestido colado, um bumbum bonito ajuda.

Mas o que fazer se fui lapidada sem bunda?

Até hoje convivo sem essa preferência nacional numa boa.

Agora tem sempre uns maldosos comentários sem necessidade nenhuma. Acho que querem testar minha paciência. Observem, as bobajadas: " Quando a velhice chegar você tem uma grande vantagem. Você não terá bunda pra cair". "Coitada esqueceram de fazer sua bunda, não é?".

Tudo bem. Não vou ficar de cara amarrada por causa desses comentários bestas, não acham?

Agora a minha decepção foi quando mostrei a tal declaração do Murilo ao maridão.

Afe Maria, vocês até imaginam, né?

O danado do home deu total razão ao ator global!

Ah,.to injuriadinha!

Vou avançar nesse home!

Mãezinha do céu me segura, por favor!

Help, amigas!

Quanta desconsideração, vixe?!

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Ai, que dor!


Senti uma fisgada daquelas quando abaixei para torcer as roupas que estavam no balde. Pronto, está concretizada a idade do condor. Que triste realidade. Jesus me proteja!

O negócio é que no momento da fisgada soltei um baita grito. Oxe, o troço doeu mesmo, não pude controlar.Saiu involuntariamente.

No mesmo instante me vi rodeada pelos meus tres homens. O engraçado é que meus cachorros, dois machos também, vieram em disparada.

Todos queriam me levantar .Os cachorros, não , é claro. Estavam assustados e latiam. Eu pedia calma. Oh, alvoroço retado!

Precisei gritar alto para que não pegassem em mim. Fui levantando devagar.

Disse-lhes que precisava ir para a cama e se possível só.

Todos me seguiram. Parecia uma procissão com a santa á frente.

Deitei-me e cada um tentava me ajeitar da melhor maneira possível.Era travesseiros, almofadas na cabeça, pernas e braços. Agoniei-me mais uma vez.

Home, até entendia tantos cuidados, mas quem sabia a melhor maneira de ficar na cama era eu. Oxe, a dor era minha. E só eu sabia a maneira mais confortável para aliviá-la.

Maridão chegou com remédio. Engoli o comprimido rapidamente e pedi dessa vez, delicadamente, para descansar.

Saíram silenciosos me deixando enfim sozinha.

Não deu nenhum minuto e escuto o maridão sussurrar :

"- Isso tudo é culpa dela, não sabe abaixar dá nisso. "
"- Teimosa demais !"

Meninas, vocês acham que deixei por menos? Gritei dando-lhe uma boa resposta.

"- Olhe estou ouvindo, viu? Pensa que gostei? Parece mais um pai falando com a filhinha que não o ouve nunca. Daqui a pouco quer me por de castigo. Vá você lavar suas cuecas, meias, calças pra sentir o que é sofrimento! "

Desaforo , não é mesmo? Ainda sou culpada pela dor! Oxe!!!!!!!!!!!!!

Será se exagerei na resposta?

Tadinho, o bichinho até que se preocupou de verdade!

Ah, deixa pra lá, já falei mesmo, né?







domingo, 5 de julho de 2009

Prova de amor


O amor nos leva a loucura . Oh sentimento arrebatador. O coração acelera só de pensar na pessoa amada. Damos suspiros apaixonados quando pensamos nos abraços, beijos e...etc.

Ai, ai! To começando a ficar romântica !

Tenho que sossegar. Controlar meus impulsos. Ui trem retado !

Somos capazes de atos inesperados quando a paixão nos domina.

Amigas, certa vez quando namorava com o maridão fiz uma doideira daquelas.

Trabalhava a semana toda na prefeitura do Núcleo Residencial Pilar.Meu maridão fazia turno na Empresa Caraiba Metais.Então as folgas ás vezes caiam em dias utéis.

Numa dessas folgas imprevisíveis. Ele, e mais uma turma de amigos e amigas resolveram ir a Juazeiro para uma festa.

A pobre aqui ficou na pior. Não iria ficar fora dessa de maneira nenhuma.

Como solução rápida resolvi montar o meu teatrinho particular.

Chamei uma amiga e juntas fomos a emergência do hospital.

Cheguei gemendo e aparentando grande fragilidade.

Fui amparada logo pelas enfermeiras que chamaram imediatamente o médico.

Com meu teatro convenci o médico de mal estar provocado por mistura excessiva de bebidas e comida na noite anterior.

Olhe, até ânsia de vômito fiz para convencer o médico.Era mesmo uma grande cara de pau.

Agora, preparem-se para o desfecho.

O médico aplicou em minha veia uma injeção enorme de plasil e glicose.

Não sei como não tive um troço.

Doidinha total. Poderia ter tido uma baita reação, e tchauzinho Sandrinha.

Ora, mas tive que aguentar a agulhada sem reclamar. Quem mandou ser boa atriz!

Agora o triste de tudo é que não aproveitei a festa. Fiquei a maior parte do tempo dormindo e babando- no ombro do futuro maridão.

Home, o importante era estar com o grande amor da minha vida.(muitos suspiros)

Por ele faria qualquer sacrifício!

Oh, acho que vou chorar com tão emocionante relato.

Que linda e sacrificada prova de amor!!!!!!!






quinta-feira, 2 de julho de 2009

Dio come ti amo



Amigas queridas , vocês não sabem do quanto essa vossa amiga foi ultra-romântica.A bichinha aqui, sonhava acordadinha. Não há como negar que havia um pouco de "inocência". Meus pés corriam léguas da terra. O negócio era voar, ir as nuvens e lá quem sabe conhecer o príncipe encantado!

Não podia assistir a um filme romântico que logo me envolvia inteira. Saia do cinema vivendo intensamente o romance da pélicula.

Não sei se vocês assistiram ao filme "Dio come ti amo". Meninas, esse filme foi a minha grande perdição.

Tive um ataque de insanidade. Incorporei a Gigliola Cinquetti, a atriz principal. Queria a todo custo cantar, falar, vestir-me e até usar o penteado da personagem.

No espelho fazia caras e bocas para tentar imitá-la. Jesus tenha dó!

Mas, por mais que tentasse não adiantava . A teimosa romântica não se enxergava. E insistia na desastrosa idéia.


Nossa, que saco!

Prá começar a Gigliola era branquinha da silva. E no filme deveria ter uns vinte poucos anos. ( o filme foi feito em 1966 )

Devo ter assistido ao filme entre 68 e 70. E minha idade era dez a onze anos. E minha pele era moreninha, resultado do sol do nosso sertão semi-árido. Agora entenderam a controvérsia?

Não sei dizer quantas vezes que assisti ao filme. Se fosse uma peça teatral com certeza chamaria atenção na plateia. Talvez ganhasse até cadeira cativa.

Amiguinhas queridas, o terrível , pressuponho,era me ouvir cantar italiano. Imaginava que sabia o idioma do filme. E sem vergonha nenhuma danava a cantar, ciente que estava agradando!

A triste verdade era que as pessoas não aguentavam mais essa minha insistência em ser Gigliola Cinquetti.


Oh....tadinha, isso faz parte da adolescência, não é mesmo?

O pessoal deveria ter tido um pouco mais de paciência.

Mas sabem de uma curiosidade, eu esqueci a história do filme.

Será por quê?

Oxe, meu cérebro bloqueou. Ele não é bobo.

Meus neurônios com certeza agradeceram.

Ah,sabem de uma coisa? Vou procurar esse filme na net pra comprar. Não é uma boa ideia?

Ei, claro que chamarei vocês para assistir ao filme comigo.

Aguardem,viu?

quarta-feira, 1 de julho de 2009

O ladrão


Certos acontecimentos quando são lembrados provocam risos. Até mesmo àqueles Improvavéis, cujo personagem principal é seu parceiro de longos anos.

Era tarde da noite. Todos dormiam. Rolava na cama sem conciliar o sono.

Já tentara contar os famosos carneirinhos. E, nada!


A insônia, esta companheira indesejável, julgava-se imbatível.

Depois de algumas tentativas e um chá de erva cidreira,consegui pegar no sono.

Dizem os especialistas que temos cinco etapas no sono: primeira e segunda acontecem os cochilos; terceira e quarta, sono profundo; e na quinta, na maioria das vezes acontecem os sonhos.

Não sei em que etapa do sono estava. Com certeza não estava cochilando, porquanto, descarta-se a primeira e segunda etapas.

Mas deixemos esse negócio de etapas e vamos direto ao assunto principal, pois sei que vocês devem estar cansadas e até bocejando diante desse negócio de etapas pra lá e pra cá.

Pois bem, tudo parecia transcorrer tranquilamente....

O silencio, o quarto ás escuras, e finalmente o meu descanso merecido.

"Coitada de mim, mal sabia o que me aguardava."

De repente acordo totalmente atordoada.

Uma sensação estranha me fez gelar.

Olho para a porta e vejo aquele homem estático a me olhar.

Tento gritar , mas as cordas vocais ficam paralisadas.

Suava. O coração queria sair pela boca. O corpo tremia tal qual vara verde.

Finalmente, e desontroladamente, consigo gritar socorro com todas as minhas forças.

Para minha surpresa o tal homem gritou também. E foi um grito de pavor.


 Ambos estávamos com medo um do outro!

A luz foi acesa. Para meu alívio, o tal homem, o ladrão, a alma penada, ou sei lá mais o que , era o meu maridão!

Pode uma coisa dessas?

Tive
tanta raiva que falei: "Tá doido! Quer me matar"!?