sábado, 31 de março de 2012

Festa Brega (para meu marido Braz).




Adentrei toda faceira. Olhava para os cantos a procura dos meus encanto. O peste do mineirim não tinha dado as caras. Onde será que o safado do come quieto tinha se metido? Ele bem sabe da minha mansidão, mas quando me "reto" fico tão destemperada que não tem santo do céu que me acalme os nervos.

Não suporto esperar ninguém, muito menos homem . Daqui a pouco a banda começa a tocar as músicas de Waldick, Reginaldo Rossi, Wando, e eu que não sou besta logo arranjarei um par para esquentar meu esqueleto no salão.

Antes, porém, vou retocar a maquiagem. Meu batom vermelhíssimo tem que aparecer ainda mais. E por falar em aparecida...

Nunca vi pessoa tão exagerada. Além de carregar na maquiagem, borrifei-me de Cashmere Bouquet . Até euzinha não to me aguentando de tão perfumosa que fiquei.

Imaginem como isso ficará depois de uma suadeira. Vou espantar meio mundo. Vixe, danou-seee!

Apressei-me nos retoques da maquiagem . Dei uma última olhada no espelho e ajeitei o vestido justo que teimava em subir além do necessário.

A banda inicia seu show com a música "Moça" do cantor Wando.

Acompanho a canção que foi sucesso em todo Brasil.

Levanto as mãos e suavemente balanço meu corpo no compasso da música.

Subitamente a luz negra me faz enxergar o aro branco de um óculos enorme que inquieto perambula pelo salão.

Vou me achegando. O forte cheiro de brilhantina me deixa tonta. A criatura se vira e me dá um pisão . Vou com tudo para cima do infeliz mal - educado.

Com um sorriso amarelo o desgramento do homem me dá um cheiro no cangote.

Credo em cruz, valei-me Nossa Senhorinha do céu e da terra também, é o meu mineirim todo engomado, e lindo de morrer!

A banda acertadamente toca uma melodia apaixonada:

"Hoje que a noite está calma
E que minh'alma esperava por ti
Apareceste afinal
Torturando este ser que te adora
Volta fica comigo
Só mais uma noite
Quero viver junto a ti
Volta meu amor "

Agarro meu homem de jeito e lhe lasco um beijo apaixonado. De rostinhos colados vamos para o salão.

Bem baixinho em meu ouvido ele me diz:

- Vamos sair daqui minha flor de mandacaru, minha flor de ipê que enfeita as montanhas das Minas Gerais. Acho que nossa noite vai ser longa e de muito amor trenzim bão de minha vida.

Arrepiei-me. Meu coraçõe batia descompassadamente! Fiquei molenga de tanta felicidade.

Derreti-me interinha com as palavras do meu pãozinho de queijo com angu e pimenta.

Misericordia meu povo! Ohhhh, minerim bão de serviço. Sou arriada por ele, visse?

6 comentários:

Anônimo disse...

Festa boa, hein, minha nega?
Um dia você conta como tudo terminou? rsrsrs
Leila Jalul

marcia disse...

Ô cumadre! Que texto delicioso!Acho qu esse vai para as cabeças! Eu gosto de tudo que vc escreve,mas esse esta muito massa! Amei! Bjs

Alice disse...

Delícia rever isso...que pinta brava você e Braz !!!kkkk Adorei o texto..

Aparecida Costa Barbosa (Paré) disse...

Olá, sou vizinha do Braz, dos tempos de infância...li e saboreei o seu texto, Sandra.Super fofo, daqueles que a gente degusta prá sentir todo o sabor.Com certeza, você tem o dom.Acho que de agora em diante, estarei sempre faz\endo uma visitinha, vice??!!!!
Um grande abraço!!!

Sanbahia disse...

Aparecida, Alice , Leila e comadre Márcia, é muito bom receber vocês em meu blog. Agradeço-lhes os comentários carinhosos.Voltem sempre, esterei esperando-as.
Cheiros amorosos.

Liliana Peixinho disse...

Ai que trem bao! To arretada de raiva porque nao fui convidada presta festanca. Morri de rir, adorei o texto, festa brega perfeita. Me chame na proxima.
Bjos
Lili Baiana com saudade de Minas