sábado, 9 de janeiro de 2010

Sou ainda um serrote.


-Eu roncando! Tá doido. Jamais.
- Com a boca aberta?

- Nem no sonho.

Foi essa a notícia que o maridão me deu.

Eu acho que há exagero nessa história.

O roncador é ele.

A motosserra, a britadeira que me deixa louca vem acusar-me.

É um desaforado de marca maior.

Ora essa, o culpado é ele.

Se for verdade, vinguei-me.

Bem feito. É merecedor. São anos de total desespero.

Disse pra ele que sou pequena aprendiz.

Aluninha. To no início.

Com o avanço dos anos melhorarei.

Acho que sou ainda um serrote, prá motos
serra há uma longa estrada a percorrer.

Ele me aguarde.

Vai se arrepender de ter nascido e ter roncado esses anos todos.

Querem saber os anos de martírio?

27 anos.

Chegaaaaaa.







Um comentário:

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

San,

O Jota Cê já disse que de vez em quando ronco, só de vez em quando...ahahahahah. Agora eu ri, pense!

Menina linda, quanto carinho, minha querida. Olha, esse seu sangue baiano apenas mostra o porquê das suas palavras terem tanto axé.

Beijo imenso.

Rebeca

-