domingo, 14 de fevereiro de 2010

As caretas.


Que pavor eu tinha de pessoas mascaradas.

Chamava-as de "as caretas"

Quando as avistava,trancava-me em casa e ficava a  espiar pelas frestas da janela.

 Sair ? Nem pensar ! Só com um  adulto que me protegesse.

Mas, os mascarados de outrora, corriam atrás das crianças.

Nós os provocávamos. Fazia parte da folia.

Era um pandemônio. Um monte de criança gritando e correndo por todos os lados.

Fiquei com trauma de mascarados por um bom tempo.

Não suportava a chegada do Carnaval.

Nunca vi sentir tanto medo.

Os outros se divertiam e eu, tremia.

Também os mascarados eram horríveis. O intuito era mesmo apavorar as crianças.

Pelo menos, a mim, eles apavoravam demais além da conta.

Coisa sem graça!

Custei a entender a brincadeira.

Tiveram que me mascarar pro medo acabar.

Não gostei muito.

Acabaram com meu faz de conta amedrontador.

Ter medo e me esconder era bem melhor.

Senti falta do coração acelerado,da falta de ar, do correr como uma louca pelas ruas ,e me esconder em casa com as portas e janelas bem trancadas.
Vá entender uma coisa dessas?


Criança é realmente surpreendente.


Um comentário:

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

É tão bom quando podemos curtir o carnaval com tranquilidade. Seja na folia ou em casa, temos que sentir que a batucada, mesmo, é na nossa vida e o samba enredo sempre é aquele do coração. Então vou com um sambinha gostoso do Chico, espero que goste:

http://www.youtube.com/watch?v=YU547fUsHqI

Beijo imenso, menina linda.

Rebeca

-