terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Virada do ano com painho e mainha.


Se bem me alembro...,  falandu meió; eu num queria era  me alembrar. Mas, nois não manda nos pensamento. E,  oiá que os danado dá trabaio aos nossos neurônio. Haja sofrimento e confusão.Vou acabá tomanu um tarja preta e ficá leve e molenguinha de tanta lerdeza boa. Vou dormir tal qual uma condenada. Oh, dilícia, senhor!

 Peço tanto ao meu Pai Nossosinhô  Jesus Cristo, Nosso Sarvador pra acarmar meus nervos, minha cabeça doida e agoniada.

Oh, irritação qui se dana em ficá, e atrapaiá  meus dias.

To braba, tal qual muié de cangaceiro.

Oxe ,mas 2012 teve suas cachorradas,canalhices. Coisa de fazê nóis arrancar os cabelos das venta se fosse possivi.

Oxente, qui dá vontade de torcer o pescoço de muita gente besta, isso dá.

 Só de alembrar de argumas situação pra euzinha me espatifar no chão de tanta reiva.

Sabe de uma coisa? Num vou mais me aborrecer me alembrando dos descaramento de 2012,não. É só ler jorná qui todo santo dia tu encontra mais e mais semvergonhice, istupidez de todo genero e grau.

Vou ficá carma. Sinão acabo tendo um infarto, um acidente vascular grave, e adeus mundo cruel.

Acho mió, é pensar qui to em meu sertão.Isso sim me desatormenta das idéia qui me corta o coração.

Inté sinto o ar puro da minha caatinga, iscutu o pocotó dos jumentinhos, o canto do pássaro preto, o cheirim de mato, o brilho do sol qui me deixa numa suadeira lascada, e as coçeira e ardença na pele de tanta muriçoca e potó.

Bom mermo é me refrescar nas barragem a chupar manga-rosa, umbu, jaca, sem ligar se amanhã vai ser assim ou assado.

E, depois, pra me incher os zoio de incantamento, inxergá as noite de lua cheia a tomá conta do terreiro em  que numa rede me estiro igualzinha uma Cleopátra sertaneja.

Pessoá , lá vem 2013 montadu numa estrela,.Acho que ele tem sentimento por nóis, o probrema é nóis judiá dele, num fazê nossa parte.

Deixemos de trololó ,e abraçemo com vontade esse ANO NOVO que de tão novo cheira a criança que saiu da barriga de sua mainha.

Deus do céu e da terra abençoe nóis em 2013, e nos dê a sabedoria de buscá nossa filicidade.

Um cheirinho  procês meus bichinhos bunitim, que habitam meu coração baianinho. To indo, mas num vou isquecê nem um instante docês meus incanto, incantadores .

Agora cum a licença docês vou-me de vez, pois Genaro , um jegue lindo e vistoso, chegou pra me carregá em viagem cheia de trilhas ecológicas inté a Bahia, para euzinha passar a virada do ano com painho e mainha, visse?

6 comentários:

Bia Oliveira disse...

Sam, eu adoooooro o jeito como você escreve.
É sempre uma crítica meio irônica que chega a ser engraçada, sabe? Admiro muito seu jeito de informar e defender sua opinião!
E obrigada pelo carinho lá no Insônia!

Outro cheiro e um Feliz Ano Novo pra ti! Que 2011 seja mais cheio de paz e tenha menos canalhices!

Sanbahia disse...

Bia seus depoimentos sempre me deixam felizes. Grata de coração.
Que em 2011 continuemos a nos encobntrar em nossos blogues.
Um grande abraço.

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

É com muito carinho que desejo um 2011 cheio de maravilhas, onde a saúde predomine e a felicidade seja brilhante.

Beijo imenso.

Rebeca

-

Sanbahia disse...

Rebeca ,o mesmo desejo a você a seu amor.
UM cheiro.

Sandra disse...

VIXE MAINHA!!!!!
Como me indentifiquei cum essa istória de firnal de ano. Inté sinti o xeirim da manga rosa e da caatinga q enxeram meus óio d'agua.
Ara tu é dimais, maninha.Sordade da
feira de Bonfim, da jaca e da seriguela.E o litro do umbu aqui é os oio da cara, quando me alembro q na estrada pra Juá nois encronta bode chupando eles embaixo do pé...
Ai q sodade q me dá!!!
Cheiros umbuzais de
Danda

Sanbahia disse...

Danda, qui bom tu visitar meu blog, affe? Assim como ocê sinto muita saudade das coisas de nossa terrinha. Vamso juntas um dia,se Deus do céu quiser, e Ele há de querer, comer beiju cum queijo e manteiga, cuscus, banana da terra cozida ou frita numa daquelas barraca de nossa feira que de tudo tem um pouco.
Um cheiro menina linda.